segunda-feira, 21 de janeiro de 2019


     
      Deméter é a deusa grega da colheita, da fertilidade, da terra cultivada, do direito sagrado e detém o ciclo da vida e da morte.
        Foi a reveladora da agricultura para o ser humano e orientou sobre o cultivo do milho e do trigo. Por isso, é também conhecida como deusa da agricultura.
        É cultuada como a "boa deusa" dos gregos e recebia como homenagem o festival da fertilidade, com participação exclusivamente feminina.
       Na mitologia romana, Deméter é equivalente à deusa Ceres.
       Deméter é representada com uma coroa feita de espigas de milho e seus animais sagrados eram a serpente e o porco. Seu símbolo mais conhecido é uma tocha.

       Filha de Cronos e Reia, Deméter era irmã de Héstia, Hera, Poseidon e Zeus. Ela teve uma filha com seu irmão Zeus chamada Perséfone. A ligação com sua cuja ligação influenciava diretamente na natureza.
       Deméter sofreu quando Hades, o deus do submundo,      sequestrou sua filha virgem Perséfone e a estuprou. O ato teve o consentimento de Zeus, que prometera a filha a Hades.
       Muito triste pelo rapto, Deméter, parou as estações do ano e houve imensa desolação sobre a Terra. Ela saiu do Olimpo e não permitia que as plantas produzissem.
       A vida foi quase extinta, a terra estava estéril, os seres vivos enfrentavam a fome, e Zeus interferiu no episódio enviando uma mensageiro ao submundo para resgatar a filha.
Astuto, Hades permitiu a libertação de Perséfone, mas ordenou que comesse uma romã, o fruto proibido. Por este instrumento, ficou ligado a ela por um terço do ano.
       Assim, no verão, outono e primavera era permitida a permanência com a mãe. Por sua vez, o inverno é a estação que aponta o maior sofrimento de Deméter longe da filha.
Sendo assim, ela é considerada a controladora das estações do ano, uma vez que as mudanças refletem o seu humor.

Fonte: Toda Matéria

sábado, 19 de janeiro de 2019

oxóssi


     



     Em 20 de janeiro comemora-se dia de  OXÓSSI!      
     Oxóssi é o orixá da caça e da fartura, das florestas e das relações entre o reino animal e vegetal. É representado nas florestas caçando com seu arco e flecha.
     Oxóssi é a expansão dos limites, enquanto a caça é uma metáfora para o conhecimento, a expansão maior da vida.
     Ao atingir o conhecimento, Oxóssi acerta o seu alvo. Por este motivo, é um dos orixás ligados ao campo do ensino, da cultura, da arte.
     Dizem que esse Orixá foi o Rei de Kêto. Oxóssi é bastante popular no Brasil. Quando se manifesta, dança, imitando a caça, a perseguição do animal e o atirar da flecha. 
     Conta uma de suas lendas, que as Feiticeiras enviaram um terrível pássaro gigante para atacar o reino de Ifé. Foram convocados os melhores caçadores para matá-lo. Entre eles estava Oxotonkanxoxô, o caçador de uma só flecha que mais tarde ficou conhecido como Oxóssi.
     Oxóssi orixá da fartura e da prosperidade na Umbanda
Nas antigas tribos africanas, cabia ao caçador, que era quem penetrava o mundo “de fora”, a mata, trazer tanto a caça quanto as folhas medicinais.
     Além disso, eram os caçadores que localizavam os locais para onde a tribo poderia futuramente mudar-se, ou fazer uma roça.
     Assim, o orixá da caça extensivamente é responsável pela transmissão de conhecimento, pelas descobertas.
O caçador descobre o novo local, mas são os outros membros da tribo que instalam a tribo neste mesmo novo local.
    Assim; Oxóssi representa a busca pelo conhecimento puro: a ciência, a filosofia. Enquanto cabe a Ogum a transformação deste conhecimento em técnica.
     Apesar de ser possível fazer preces e oferendas a Oxóssi para os mais diversas facetas da vida, pelas características de expansão e fartura desse orixá, os fiéis costumam solicitar o seu auxílio para solucionar problemas com a alimentação da tribo, o que costumeiramente cabe aos caçadores.
    Por suas ligações com a floresta, pede-se a cura para determinadas doenças e, por seu perfil guerreiro, proteção espiritual e material.
O habitat de Oxóssi orixá
     O habitat de Oxóssi é a floresta, sendo simbolizado pela cores verde na umbanda, e recebendo a cor azul clara no candomblé, mas podendo usar, também, a cor prateada nesse último.
     Sendo assim; roupas, guias e contas costumam ser confeccionadas nessas cores, incluindo, entre as guias e contas, no caso de Oxóssi e, também, seus caboclos, elementos que recordem a floresta, tais como penas e sementes.
     Seus instrumentos de culto são o ofá (arco e flecha), lanças, facas e demais objetos de caça. É um caçador tão habilidoso que costuma ser homenageado com o epíteto “o caçador de uma flecha só”, pois atinge o seu alvo no primeiro e único disparo tamanha a precisão.
     Conta a lenda que um pássaro maligno ameaçava a aldeia e Oxóssi era caçador, como outros.
     Ele só tinha uma flecha para matar o pássaro e não podia errar. Todos os outros já haviam errado o alvo.
Ele não errou, e salvou a aldeia. Daí o epíteto “o caçador de uma flecha só”.
     Come tudo quanto é caça e o dia a ele consagrado é quinta-feira.

Sincretismo religioso
   Os filhos do orixá Oxóssi as vezes associam a São Jorge ou São Sebastião no sincretismo religioso
    Nas tradições da igreja católica, o orixá Oxóssi é sincretizado como “São Sebastião” homenageado em 20 de janeiro.




quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

DIANA
Filha de Júpiter e Latona, Diana na mitologia romana, era a deusa virgem.
Uma Divindade da lua e da caça, muito poderosa e forte. Mais conhecida como deusa pura, filha de Júpiter e de Latona, e irmã gêmea de Febo (deus da música, da luz e da poesia). Ela é o equivalente romano da deusa grega Ártemis.
Fez voto de castidade, nunca se casou e se manteve virgem durante toda vida. Era seguida por várias ninfas e oceânides. Tornou-se uma espécie de símbolo da castidade na Roma Antiga. Os romanos acreditavam que ela ajudava as mulheres grávidas no momento do parto.
O principal templo de culto à deusa Diana ficava no Monte Aventino, uma das sete colinas de Roma. Foi nesse local que Hércules matou Caco (filho de Vulcano, deus do fogo).
Na Europa, durante a Idade Média, a deusa Diana foi tratada como sendo a representante das bruxas. Foi, muitas vezes, representada nas pinturas e esculturas como uma jovem caçadora, portadora de um arco.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

KUAN YIN


       Kuan Yin, cujo nome significa "aquela que ouve os lamentos do mundo" é boddhisatva da Compaixão no budismo chinês. Ela vive em uma ilha paradisíaca de P'u T'o Shan, onde ouve todas nossas preces.
Todos que trabalham com sua energia, sabem o quanto ela é doce e sutil, mas também o quanto é poderosa. Somente a menção de Seu Nome alivia o sofrimento e as dificuldades. Mesmo tendo alcançado a iluminação, Ela optou por permanecer no mundo dos homens.
     Kuan Yin aparece nas nossas vidas para dizer que está na hora de alimentarmos nossos corações com a compaixão. Compaixão pelos outros e também por nós mesmos.
    Kuan Yin é originária do planeta Vênus e chegou à Terra juntamente com a comitiva de Sanat Kumara há 16 milhões de anos, quando este tomava posse como Senhor do Mundo, na regência da Terra. Como Mestra de Saint Germain, ela o acompanhou e inspirou em suas inúmeras missões na Terra, com a intenção de ajudar a humanidade em sua elevação.
“Te suplico minha Mãe, tenha compaixão, cure-me de todas as mágoas que me faz sofrer. Cubra-me com suas vestes brancas, purifique meu coração, para que nele permaneça apenas o verdadeiro Amor".


sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

NIKE

      
Nike, chamada pelos romanos de Victoria, personificava o triunfo e a glória. Deusa alada, Nike podia correr e voar em grande velocidade, além de outras qualidades extraordinárias que lhe eram atribuídas. Representada carregando uma palma e uma coroa de louros, era considerada como fonte de boa sorte e todos os deuses, atletas e guerreiros desejavam ter Nike ao lado.

Ela estava sempre ao lado de Athena, a deusa da sabedoria, da estratégia e das habilidades, dando a certeza de que a deusa obteria a vitória nas batalhas travadas. Os atenienses tinham especial devoção por Nike e ergueram templos em sua homenagem para assinalar as suas vitórias militares. Muitos desses cultos eram conjugados com outros dedicados à própria Athena.

Nike voava sobre os campos de batalha para premiar os vencedores com a fama e a glória, mas nem sempre era justa e nem sempre premiava o mais brilhante. Nike premiava com os louros da vitória quem soubesse usar da melhor estratégia. Filha de Palante e da oceânide Estige ou Styx, sua mãe era a deusa dos inquebráveis juramentos solenes e portanto invocada em qualquer situação que envolvesse ganhos, sucesso, vitória e poder. Isso porque para vencer, é necessário fazer um juramento consigo mesmo para alcançar um objetivo. 

Quando Zeus, a divindade dominante do panteão grego, estava organizando a guerra contra os titãs, Styx e seus filhos Nike, Bia, Kratus e Zelus foram seus aliados. Aos deuses, guerreiros e herois, Bia dava a força, Kratus o poder e Nike coroava a vitória. Porém qualquer um que fosse vencedor também deveria saber lidar com Zelus - o ciúme, algo que sempre ronda quem tem sucesso.

No ano de 490 a.C. quando os soldados atenienses partiram para a planície de Maratona ou Marathonas  para combater os persas, suas mulheres ficaram apreensivas pois os inimigos haviam jurado que, depois da batalha, marchariam sobre Atenas, destruiriam a cidade, violariam suas mulheres e sacrificariam seus filhos.

Diante dessa ameaça, os gregos combinaram com suas esposas que, se não recebessem a notícia da vitória em 24 horas, todos deviam suicidar. Os gregos ganharam a batalha, mas a luta iria demorar ainda mais tempo e eles temiam que elas executassem o plano. Por isso enviaram Filípides, que era o melhor atleta de Atenas, para dar a notícia. Ainda hoje Filipides é homenageado pelo corredor que carrega a tocha para acender a pira que antece os jogos olímpicos.

O mensageiro percorreu cerca de 42 km que separavam Maratona de Atenas, uma razão para a distância da atual prova olímpica da maratona. O grande corredor só parou quando chegou à Acrópole, o lugar mais alto e importante da cidade grega. Do alto ele gritou: Nike! Nike! Nike! e caiu morto pelo esforço.  


************

Retratada e homenageada nas medalhas dos Jogos Olímpicos nos tempos atuais, Nike é testemunha das lutas e competições que se travam nos ginásios esportivos mas também de nossa luta diária para superar dificuldades e conquistar os nossos objetivos. Ela voa baixo, beija a testa dos vencedores que lhe sorriem e não se sensibiliza com os gritos dolorosos dos fracassados.  

Nem sempre é justa, nem sempre premia o melhor e mais brilhante, mas castiga os pretensiosos que ousam cantar a vitória antes de travar a batalha. O que lhe seduz é a estratégia, o foco, a disciplina e o controle emocional. 
Para construir uma carreira ou ter sucesso em qualquer empreendimento precisamos manter o foco e estarmos convictos do que nos motiva, pois é a motivação que nos leva a tentar melhorar a cada dia. Para isso é preciso determinação e disciplina, mas sobretudo gostar do que fazemos.
 
E, por mais que confiemos em nossas capacidades, temos de reconhecer as nossas limitações. Temos habilidades especiais mas não somos bons em tudo. Não adianta querermos nos meter onde sejam necessárias competências que não temos, ao invés disso devemos priorizar os nossos pontos fortes e trabalhar as nossas melhores aptidões. Pontos fortes bem desenvolvidos superam pontos fracos. 
No entanto, a vida é como uma Olímpiada, não basta desenvolvermos apenas competências. Precisamos também desenvolver o controle emocional, aprendendo a lidar com as pressões e frustrações. Resiliência é a palavra-chave, recuperar-se rapidamente dos baques que a vida dá e tirar lições positivas das derrotas que são fundamentais para outras oportunidades. Leia mais sobre resiliência em meu blog Viva la Vita ou click aqui
 
Para colher os louros da vitória, sejam nos esportes, nas empresas e nos objetivos pessoais é preciso saber interagir e ter respeito com os outros, saber como e quando atuar, tendo disposição para incorporar novos métodos e se aprimorar. Isso ajuda a 
desenvolver a habilidade de se relacionar com os outros e saber trabalhar em equipe.
  
Nossa vida não é feita apenas de um objetivo, sempre haverá novos desafios a vencer. Ser vitorioso uma vez não garante que teremos sucesso sempre. Quando atingimos um determinado patamar é preciso continuar aprimorando para nos manter no topo e não subestimar a capacidade de nossos concorrentes e adversários. Achar que estaremos livres de qualquer adversidade, é o primeiro passo para a queda.
Fonte: Eventos Mitologia Grega

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019


         Budha é o estado de consciência iluminado que o 
indiano Siddartha Gautama atingiu depois de anos de busca 
e meditação profunda.


domingo, 30 de dezembro de 2018


LOJA SIRIUS EM DESCANSO NA SEGUNDA DIA 31/12.
REABRIMOS QUARTA DIA 02/01/2019!
FELIZ ANO NOVO A TODOS!
QUE 2019 SEJA SE HARMONIA, AMOR, SAUDE E SABEDORIA!


sábado, 29 de dezembro de 2018


           
          O ano de 2019 será regido por Ogum e seu Planeta que é Marte. Já no Catolicismo, corresponde a São Jorge. Isso porque Ogum é considerado guerreiro, pois protege seus filhos da ação de forças negativas. 
Vai ser um ano com dias bastante intensos, teremos que enfrentar obstáculos e tomar decisões difíceis. E Marte reforça essa batalha para resolver questões pendentes.
É um ano para afastar energias negativas. Também muitas verdades vão parecer e máscaras vão cair. Ogum traz força, ordem, direção e liderança, favorecendo pessoas determinadas e preparadas. Isso pode gerar impaciência, agressividade e impulsividade, além de “brigas de egos”.
É um bom ano para repensar novas formas de agir, desenvolver novos projetos sempre com foco, para não correr o risco de deixar coisas inacabadas. Ogum como Orixá regente é a oportunidade de espantar as energias negativas e deixar de lado a cobiça que o mundo material desperta em nós.
Vermelho e branco são cores que o representam.
As ervas indicadas para preces e oferendas são: aroeira, carqueja, folha de jurubeba, pata de vaca, macaé, espada de São Jorge, flecha de Ogum, folhas de romã, comigo-ninguém-pode e losna; 
Seu dia é 23 de abril e o dia da semana é terça-feira;
Seu número é 7.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018



CIANITA AZUL
 A PEDRA REGENTE DE 2019!

         Conhecida como “Espada de Miguel”, a Cianita Azul é um poderoso item de proteção espiritual. Seu uso promove bloqueios e a destruição dos ataques de forças negativas — funcionalidades de extrema importante ao longo do ano de Marte.
Períodos de ação, intensidade, paixões e todo o tipo de emoção devem marcar 2019.
Vibrando em uma frequência muito alta, a pedra é muito indicada para promover o despertar da intuição, facilitando a meditação, aumentando as capacidades mediúnicas e auxiliando terapias de regressão a vidas passadas.
Devido ao seu aspecto físico laminado, costuma ser utilizada como um bisturi em cirurgias espirituais, bem como para cortar pensamentos e padrões negativos.
Relacionada à Proteção Divina, essa verdadeira espada tem a capacidade de cortar cordões energéticos, expulsar padrões de pensamento nocivos, anular magias negativas direcionadas ao seu usuário e eliminar quaisquer influências energeticamente perigosas.
Ao mesmo tempo em que “corta”, também cicatriza o campo áurico, permitindo a regeneração quase imediata daquele que faz uso de suas propriedades mágicas.
Fortalecendo o espírito, a Cianita Azul promove a conexão com o plano angelical, nos ajudando a superar desafios e estabelecer uma maior consciência espiritual.
Você pode utilizar esse cristal sempre que desejar, no entanto é importante que dê intervalos entre os usos. Este é um mineral tóxico ao uso interno, não devendo ser utilizado em elixires.
Representando não somente o Arcanjo Miguel, o cristal é associado ao planeta Vênus e ao elemento Água. Um dos cristais mais eficazes no processo de alinhamento de chacras e corpos sutis, rege os chacras quinto, sexto e décimo. Na astrologia, beneficia todos os signos do zodíaco.

BENEFÍCIOS FÍSICOS DA CIANITA AZUL
Como todo cristal, características terapêuticas no espectro físico são observadas. No caso da Cianita Azul, seus efeitos incluem o alívio de tensões musculares, bursite (inflamação nos nervos), nervosismo, insônia, inflamação na garganta, problemas relativos ao sistema urogenital e suprarrenal, dentre outros.
Também são observados benefícios no tratamento da epilepsia, autismo, tireoide e controle da pressão alta (quando aliada ao acompanhamento médico). A pedra pode ser administrada inclusive por pessoas em processo de perda de peso.

BENEFÍCIOS MENTAIS E EMOCIONAIS DA CIANITA AZUL
Sobre a mente, a Cianita Azul proporciona paz, calma e trabalha de forma positiva as preocupações. Seu utilizador será capaz de compreender com mais lucidez os problemas que possam estar ocorrendo, encontrando a solução mais rapidamente.
Diante do medo e da raiva, você também conseguirá trabalhar melhor os aspectos psíquicos, promovendo clareza mental e a ordenação dos pensamentos. Ela ajuda a superar a timidez e ansiedade.
.A Cianita Azul é capaz de nos conectar ao amor espiritual, equilibrar as energias e nos proteger das possíveis somatizações de doenças.

Todas essas características citadas são muito importantes, especialmente quando falamos sobre o ano de 2019, onde as energias de Marte estarão emanando de todas as fontes possíveis. Este será um ano complicado, em que a espiritualidade não só pode, mas deverá estar presente para que os obstáculos sejam ultrapassados em harmonia.
Com a Cianita Azul sempre perto de você, será possível estreitar os lados com as energias do coração, impulsionando seus pensamentos e atitudes para que continue trabalhando, confiando e fazendo o seu melhor.

LIMPEZA E ENERGIZAÇÃO DA CIANITA AZUL
É uma das poucas pedras onde a energia negativa não se acumula.
Não é necessário limpar ou energizar o seu cristal de Cianita Azul. O que você pode fazer é apenas uma limpeza física em água corrente. Perceba que seu brilho e energia aumentarão durante algumas horas.
Diante do seu poder, é possível utilizar o cristal para limpar e energizar outras pedras mais sensíveis e que não possuem essa mesma característica “autolimpante”.

CURIOSIDADES SOBRE O CRISTAL REGENTE DE 2019
Apesar do grande poder espiritual que a Cianita Azul possui, este é um cristal que pode se quebrar facilmente, devendo ser manuseado e armazenado com cuidado.
Como é relacionado a altas esferas espirituais, o cristal de Cianita Azul nunca deverá ser utilizado para finalidades maléficas ou egoístas.
Você poderá utilizá-lo juntamente a Selenita e a Turmalina Verde ou Preta. Essa combinação de cristais estriados é capaz de estabelecer uma forte condição para canalizar a força espiritual rumo a mente e o corpo físico. Fonte: Site wemystic


quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

TE PREPARA PARA RECEBER O ANO NOVO!
BANHOS DE ERVAS SÃO EXCELENTES PARA RENOVAR ENERGIAS!




quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

MANEKINEKO


Amuletos de Ano Novo no Japão

Os japoneses são muito supersticiosos e portanto é comum ver à venda nos templos durante o Oshougatsu, todos os tipos de talismãs e amuletos, para dar sorte, felicidade e prosperidade no ano novo.
     O Manekineko (招き猫) é com certeza um dos amuletos de sorte mais conhecidos no Japão. São chamados de Gatos da Sorte, da Felicidade e da Fortuna. 
Geralmente são feitos de cerâmica ou porcelana japonesa e o principal objetivo é atrair sorte e fortuna às vidas das pessoas e aos estabelecimentos comerciais.
      Além de ser um ótimo souvenir para dar de presente no Ano Novo, podemos encontrar o Manekineko em tamanhos e cores variadas.
     Uma das principais características do Manekineko é sempre estar sempre sentado e com uma patinha levantada na altura da orelha. Segundo dizem, quando a patinha levantada é a esquerda, significa que é para chamar clientes e fazê-los gastar mais na loja. Se a patinha levantada é à direita, é para atrair sorte e dinheiro.

FONTE JAPÃO EM FOCO

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018


Amuletos de Ano Novo no Japão!

Os japoneses são muito supersticiosos e portanto é comum ver à venda nos templos durante o Oshougatsu, todos os tipos de talismãs e amuletos, para dar sorte, felicidade e prosperidade no ano novo.
O Daruma é um espécie de amuleto da sorte japonês e é muito comum ser dado de presente às pessoas próximas. 
É comum ser encontrado na cor vermelho, mas existem Daruma de outras cores também. 
A região dos olhos é branco, pois quem ganhar o amuleto deve preencher o olho esquerdo ao fazer um pedido e somente pintar o olho direito, caso o desejo seja atendido.

Fonte: Japão em Foco!

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

INDIOS AMERICANOS


Na tradição dos povos antigos norte- americanos,
a observação da Natureza é a fonte primeira da conexão com o divino. 

conhecimento acumulado das tribos 
é aquele revelado em cada manifestação da Mãe-Terra, 
de modo que a adequação aos ciclos e ritmos da Terra é 
fundamental para a saúde e para o equilíbrio do Ser!


quinta-feira, 13 de dezembro de 2018


Dia 13 de dezembro, vamos homenagear:
EUÁ - JOVEM GUERREIRA!

Divindade pouco conhecida no Brasil. 
             Para alguns é o lado feminino de Oxumaré e também a faixa branca do arco íris, por isso governa as chuvas e a lua cheia. Deusa guerreira e caçadora escolheu sua morada junto às fontes e nascentes. 
            Uma de suas lendas diz que Euá era linda e carinhosa e vários príncipes se ofereciam para desposá-la. Eram tantos pretendentes que lutavam por ela até a morte, que Euá, triste com aquele sangrento campeonato que se transformou em névoa diante dos olhos de todos; outra lenda diz que Euá, por causa de uma desilusão amorosa, abandonou o mundo dos vivos e desde então ela que domina os Cemitérios.

Elemento: água
Símbolo: arpão e espada
Domínio: fontes e nascentes
Saudação: Ri Ro
Comida: milho, côco e azeite de dendê
Dia da semana: sábado
Cores: rosa e salmão



terça-feira, 4 de dezembro de 2018



04 de dezembro dia de homenagear:

IANSÃ
(A Rainha dos Ventos)

Divindade dos ventos, das tempestades e do rio Niger, que em Iorubá chama-se Odò Oya. Guerreira agressiva e corajosa dividiu com Xangô, seu marido, o poder de cuspir fogo e evoca através de seus movimentos sinuosos e rápidos, as tempestades e os ventos enfurecidos. Diz uma das lendas de Iansã, que Ogum foi caçar e se preparava para matar um búfalo, quando subitamente o animal tirou a sua pele, se transformando numa linda mulher. Era Oya-Iansã. Casou-se com Ogum, recomendando manter segredo de que ela era um animal. Quando as outras mulheres de Ogum descobriram o seu segredo começaram a maltratá-la. Iansã irritada se transformou novamente em búfala e as matou. Antes de fugir, deixou seus chifres com seus nove filhos, que tivera com Ogum e disse: “Em caso de necessidade, batam um contra o outro, e eu virei socorrê-los”.


segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

SANTA BARBARA

NESSE DIA 04/12, HOMENAGEAMOS SANTA BÁRBARA!        
Santa Bárbara nasceu na cidade de Nicomédia na região da Bitínia, onde hoje se localiza a cidade de Izmit, na Turquia, às margens do Mar de Mármara. Bárbara viveu no final do Século III. Foi uma bela jovem, filha única de Dióscoro, um rico e nobre morador de Nicomédia.
Dióscoro não queria deixar sua filha única viver no meio da sociedade corrupta daquele tempo. Por isso, decidiu fechá-la numa torre. Lá, ela era ensinada por tutores da confiança de seu pai. Porém, aquilo que parecia um castigo, começou a abrir a mente de Bárbara. Do alto da torre ela contemplou a natureza: as estações do ano, a chuva, o sol, a neve, o frio, o calor, as aves, os animais, etc. Tudo isso fez Bárbara questionar se aquilo era realmente criação dos “deuses”, como seus tutores e seu povo creditavam, ou se havia “alguém” muito mais inteligente e poderoso por trás da criação.

A beleza de divina

Quando atingiu a idade para o casamento, por volta de 17 anos, seu pai a trouxe para casa e permitia que ela recebesse a visita de pretendentes, mas não permitia que ela visitasse a cidade. Bárbara era uma jovem muito bela e de família rica. Por isso, muitos eram os pretendentes que queriam se casar com ela. Mas Bárbara não aceitava nenhum, enxergando neles a superficialidade e o interesse, e nenhum toque de amor verdadeiro.
Para seu pai, isso era um problema sério, pois, segundo os costumes, ele tinha obrigação de casar sua filha. Dióscoro pensava que as “desfeitas” da filha diante dos pretendentes se davam por causa do tempo que ela passou na torre. Então, ele decidiu permitir que Bárbara conhecesse a cidade.

O contato com os cristãos

Santa Bárbara, então, começou a frequentar a cidade. Nessas visitas, acabou conhecendo os cristãos de Nicomédia. Estes passaram para Bárbara a mensagem de Jesus Cristo. Falaram-lhe também sobre o mistério da Santíssima Trindade. A novidade cristã tocou profundamente o coração de Bárbara. Com os cristãos ela encontrou a resposta para seus questionamentos: o Criador de tudo era o Deus Único e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo e não os deuses que seu povo cultuava.
Bárbara se converteu ao cristianismo de todo o coração. Logo, um padre vindo de Alexandria ministrou a ela o batismo. E Bárbara passou a ser uma jovem fervorosa e cheia de virtudes cristãs. Em Jesus Cristo ela encontrou o sentido mais profundo de sua vida.

Santa Bárbara e as perseguições

Dióscoro, pai de Santa Bárbara, decidiu construir para ela uma casa de banho na torre, onde ele planejou instalar duas belas janelas. Quando a obra começou, Dióscoro teve que fazer uma longa viagem. Durante a viagem do pai, Santa Bárbara ordenou que construíssem uma terceira janela na obra. Sua intenção era que a torre tivesse três janelas em homenagem à Santíssima Trindade. Além disso, Santa Bárbara esculpiu uma cruz na torre.
Quando Dióscoro voltou, reparou logo nas mudanças feitas na construção e foi perguntar à filha o por que daquilo. Santa Bárbara explicou que as mudanças eram símbolos de sua nova fé: três janelas em homenagem ao Deus Uno e Trino, Criador de todas as coisas. E a Cruz lembrava o sacrifício do Filho de Deus para salvar a humanidade. Dióscoro ficou furioso.

A sentença de morte de Santa Bárbara

Ao perceber que a filha estava irredutível em sua fé cristã, Dióscoro, num impulso de ira, denunciou a filha ao prefeito da cidade. Este ordenou que Bárbara fosse torturada em praça pública, para tentar fazer com que a jovem renegasse a fé cristã. Porém, para surpresa de todos, Santa Bárbara não renegou sua fé, mesmo diante dos mais atrozes sofrimentos.
Durante a tortura, uma jovem cristã chamada Juliana denunciou os nomes dos carrascos, coisa que era expressamente proibida na época. Por isso, Juliana foi presa e condena à morte por decapitação juntamente com Santa Bárbara.
As duas jovens cristãs foram levadas amarradas pelas ruas de Nicomédia, sob os gritos furiosos de muita gente. Santa Bárbara teve os seios cortados. Depois, foi conduzida para fora da cidade. Lá, seu próprio pai a degolou.

Bárbara e os raios

Quando Dióscoro degolou a filha e a cabeça de Santa Bárbara rolou pelo chão, um raio riscou o céu e um enorme trovão foi ouvido pelo povo. E, para o assombro de todos, o corpo de Dióscoro caiu no chão sem vida, atingido pelo raio. Parece que a natureza se revoltou contra a atitude desse pai infanticida.
Depois deste fato, Santa Bárbara ganhou o status de "protetora contra relâmpagos e tempestades", além de ser nomeada Padroeira dos artilheiros, dos mineradores e das pessoas que trabalham com fogo.

Devoção à Santa Bárbara

festa de Santa Bárbara é celebrada na Igreja Católica e na Igreja Ortodoxa. A festa é celebrada no dia 4 de Dezembro de cada ano.
Mas a grande mensagem de Santa Bárbara destina-se a todos aqueles que buscam a verdade, principalmente os jovens. Ela nos ensina a buscar a verdade com coração sincero e aberto. Ensina também que o casamento não deve acontecer por mero interesse, mas sim por amor. Por fim, Santa Bárbara nos dá uma mensagem de coragem e fé. A palavra mártir quer dizer testemunha e se aplica aos cristãos que preferiram morrer a negar sua fé e pecar. Este é o grande testemunho de Santa Bárbara.

Oração de Santa Bárbara

“Santa Bárbara, que sois mais forte que as torres das fortalezas e a violência dos furacões, fazei que os raios não me atinjam, os trovões não me assustem e o troar dos canhões não me abalem a coragem e a bravura. Ficai sempre ao meu lado para que possa enfrentar de fronte erguida e rosto sereno todas as tempestades e batalhas de minha vida, para que, vencedor de todas as lutas, com a consciência do dever cumprido, possa agradecer a vós, minha protetora, e render graças a Deus, criador do céu, da terra e da natureza: este Deus que tem poder de dominar o furor das tempestades e abrandar a crueldade das guerras. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.”
Fonte: CruzTerraSanta