quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

            Conhecido também como “frankincense” ou “incenso verdadeiro”, o Olíbano é tido por muitos como o “incenso original”, uma vez que foi a primeira resina a ser utilizada pela humanidade como incenso em defumações e rituais. O Olíbano está presente na história de diversas civilizações, sempre relacionado a rituais sagrados de espiritualidade e meditação. Sua resina é obtida a partir de algumas plantas do gênero Boswelia, existentes tanto na África quanto na Ásia. Já na época dos hebreus, o Olíbano, junto ao ouro e à mirra, foi um dos presentes dos três Reis Magos oferecidos ao menino Jesus. Mas não eram apenas os judeus que o consideravam sagrado. Imperadores romanos também o utilizavam em uma série de rituais e cerimônias, como Nero, que o teria usado em rituais de queima por um ano seguido, após o funeral de sua esposa, Poppaea. Indianos, persas, árabes, chineses e outros povos também fizeram e ainda fazem uso da erva, conhecida por sua fragrância suave e balsâmica, com toques cítricos e de cânfora e um odor que permanece no ar por bastante tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário