sexta-feira, 4 de outubro de 2019




Dia 04 de outubro homenageamos 
São Francisco de Assis 

São Francisco de Assis, o padroeiro dos animais e da natureza, também conhecido por ser o santo dos pobres.
Francisco nasceu na cidade de Assis, na Itália a infância e adolescência desfrutando da sua riqueza e vaidade. Sua atitude foi original quando se dedicou aos mais pobres dos pobres, e quando amou todas as criaturas chamando-as de irmãos. Alguns estudiosos afirmam que sua visão positiva da natureza e do homem, que impregnou a imaginação de toda a sociedade de sua época, foi uma das forças primeiras que levaram à formação da filosofia da Renascença.
Francisco apreciava a arte e a considerava um instrumento útil no cultivo da devoção. Usava a música, a poesia e as encenações em suas pregações. Os franciscanos se tornaram mais tarde incentivadores de uma arte que fosse imediatamente acessível ao povo. Desde sua morte ele foi representado inúmeras vezes na pintura e na escultura, da cultura erudita ou popular, apareceu na literatura ficcional e inspirou diversos músicos importantes.
Seguindo seu caminho como peregrino de Deus, Francisco e seus seguidores viajaram por muitas cidades da Europa e África, como o Egito, Chipre, Roma, Síria e outras cidades e lugares considerados Sagrados.
O amor de Francisco pelas "obras de Deus", ou seja, pela natureza e tudo que nela está inserido era imenso. Ao abrir mão de toda a sua fortuna, Francisco de Assis se dedicou bastante aos animais, ao meio ambiente e aos leprosos.
A partir do sincretismo religioso, São Francisco de Assis foi incorporado pela Umbanda e Candomblé, sendo venerado sob a figura de Xangô.
Oração de São Francisco de Assis

"Senhor,

Fazei de mim um instrumento de vossa Paz!
Onde houver Ódio, que eu leve o Amor,
Onde houver Ofensa, que eu leve o Perdão.
Onde houver Discórdia, que eu leve a União.
Onde houver Dúvida, que eu leve a Fé.
Onde houver Erro, que eu leve a Verdade.
Onde houver Desespero, que eu leve a Esperança.
Onde houver Tristeza, que eu leve a Alegria.
Onde houver Trevas, que eu leve a Luz!

Ó Mestre,

fazei que eu procure mais:
Consolar, que ser consolado;
Compreender, que ser compreendido;
Amar, que ser amado.
Pois é dando, que se recebe.
Perdoando, que se é perdoado e
É morrendo, que se vive para a vida eterna!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário